Visitar página no facebook
Sobre plafonamento
sábado, 12 setembro 2015

Sobre plafonamento

O vocábulo plafond, que segundo o Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea, da Academia das Ciências de Lisboa, remete para a forma aportuguesada plafom e que, por sua vez, tem como equivalente vernáculo, tecto ou teto (para quem já segue a nova ortografia), é um exemplo de palavra de origem estrangeira que vingou no seio da língua portuguesa.

A palavra de origem francesa, frequentemente usada na terminologia económica e financeira, acabou por dar origem à formação de novos termos: plafonar e plafonamento.

Como é sabido, no passado dia 8 de setembro de 2015, foi transmitido, em simultâneo pelas três televisões generalistas, o debate entre António Costa e Pedro Passos Coelho.

No momento em que se discutia o tema das pensões nas contas da Segurança Social, o vocábulo plafonamento foi uma das palavras mais utilizadas, havendo até quem já a refira como o “palavrão do debate” (cf. Jornal de Negócios). Quantos de nós, portugueses, sabem verdadeiramente o que significa plafonamento?

Cientes de que é importante esclarecer todos os portugueses, a equipa do PLP apresenta o significado de plafonamento e de plafonar:

plafonar
Do francês plafonner, ‘atingir o máximo’
verbo transitivo
estabelecer um limite (plafom ou teto) máximo para algo

plafonamento
De plafonar + -mento
nome masculino
estabelecimento de um limite (plafom ou teto) máximo para algo

A questão em debate é o plafonamento da Segurança Social, ou seja, a criação de "um limite tanto nos descontos dos trabalhadores para a Segurança Social, como nas pensões que esses trabalhadores irão receber quando se reformarem". Pedro Santos Guerra, no Expresso, de 10 de setembro de 2015, esclarece ainda:

"Plafonamento horizontal, como defende o PSD para novos trabalhadores, aplica-se apenas a ordenados mais altos, sendo definido um valor de salário a partir do qual os trabalhadores deixam de estar obrigados a descontar para a Segurança Social. Se, por exemplo, o Estado definir o plafond nos 2600 euros e o senhor Joaquim ganhar 3000 euros por mês, pode descontar para a Segurança Social apenas sobre os 2600 euros e optar por poupar a parte relativa aos 400 euros remanescentes em fundos privados. Toda a gente que ganhe até esses 2600 euros desconta integralmente para a Segurança Social. É isto que o PS acusa de ser a privatização da Segurança Social.Plafonamento vertical aplica-se a todos os rendimentos, passando uma parcela dos descontos a ser feito não para o sistema público de pensões mas para fundos privados. Ganhem 3000 ou 600 euros, o trabalhador desconta uma parte para fundos privados. É isso que o PSD acusa o PS de estar a promover encapotadamente, quando propõe uma baixa da taxa contributiva para todos os trabalhadores, encorajando-os a poupar em fundos privados para complementar a pensão futura.)"

Ana Salgado
Lexicógrafa

Comentários (1)

  • teshamorta.hatenablog.com

    teshamorta.hatenablog.com

    15 maio 2017 às 05:25 |
    An impressive share! I've just forwarded this onto a
    co-worker who has been doing a little research on this.
    And he in fact bought me lunch because I found it for him...
    lol. So let me reword this.... Thanks for the
    meal!! But yeah, thanx for spending the time to talk about this subject
    here on your internet site.

Deixe um comentário

Está a comentar como convidado. Login opcional abaixo.