Visitar página no facebook

Matar o bicho

Já matou o bicho?

Qualquer um de nós mata o bicho, mas será que sabemos porquê? Hoje falaremos do vocábulo mata-bicho!

De onde surge esta palavra? Ao que tudo indica, a explicação está relacionada com a morte súbita de uma senhora francesa. Durante a autópsia, um verme foi encontrado sobre o seu coração, um bicho de natureza completamente desconhecida e muito resistente, porque se conta que foram várias as tentativas de o matar. Um dos médicos decidiu então colocar o bicho num pedaço de pão embebido em vinho, o que resultou na sua morte imediata. Deu-se, assim, início a uma crença de que um gole de bebida alcoólica, ingerida pela manhã em jejum, é um bom remédio, sempre com o pretexto de “matar o bicho”.

Há ainda uma outra explicação, fundamentada numa crença antiga, segundo a qual um bicho habitaria no estômago do ser humano, o que justifica, por exemplo, os roncos quando temos fome. Uma pequena dose de álcool ou um alimento para quebrar o jejum ajudam assim a matar o bicho.
Na linguagem popular, e principalmente em terras africanas, a expressão é muito corrente.
E se nós matamos o bicho, os espanhóis "matan el gusano" e os franceses "tuent le ver".

A equipa do PLP - português à letra

Comentários (1)

  • António Pedro Sequeira

    António Pedro Sequeira

    18 setembro 2015 às 14:16 |
    Sobre esta expressão, sei de uma história alternativa.
    A expressão terá surgido durante a epidemia de gripe espanhola, que ficou conhecida como pneumónica, em 1917.
    Como o álcool é um desinfectante para matar o bicho diariamente e passou a ser "obrigatório", as pessoas "mata-bichavam" (assim se diz em Moçambique) logo em jejum com a ingestão de um copo de aguardente e figos secos.
    Se o uso da aguardente apresenta uma certa lógica, já quantos aos figos secos não se poderá dizer o mesmo.

Deixe um comentário

Está a comentar como convidado. Login opcional abaixo.

PARCEIROS

 

Menu